2 de dez de 2012

obrigada, thank you, merci, gracias

Postado por LUIZA às 16:49
Gente, parece até mentira quando eu falo que acabaram as aulas, os sufocos, que já apresentei meu TCC, que não tem mais nenhum vestibular...
Esse ano foi o melhor e o pior, ao mesmo tempo.
O melhor porque pude ter a sensação de estar no terceiro ano do Ensino Médio, em uma escola maravilhosa, na qual estou a muitos anos, e por ser o último ano, tive momentos incríveis e inesquecíveis.
Pior porque é o marco do fim.
Semana do saco cheio, várias fotos da turma, camiseta do "terceirão" e todas essas coisas... E por mais clichê que possa ser, quando passamos por uma situação como essa é muito bom, até as despedidas, o fato de sabermos que não estaremos lá na escola o ano que vem, os churrascos, as novas experiências, os diálogos sobre faculdade, futuro, trabalho... Ao mesmo tempo que isso tudo é "adulto" é tão "adolescente" ainda, e sem medo, posso dizer que nada, nada foi ruim. Cada discussão, votação, cada última prova, cada desespero diante das datas da Fuvest e do Enem chegando, cada choro, cada última olhada pra trás, cada minuto que passei naquele lugar e com aquelas pessoas será eterno.
Estar no terceiro foi uma experiência única, e não sei se isso acontece com todo mundo, mas agradeço à Deus todos os dias por eu poder estar numa escola tão boa, e por ter amigos tão bons. Mesmo existindo aqueles conflitos que você acaba por considerar uns os "melhores", é sempre a junção de todo mundo que faz eu me sentir uma pessoa de sorte, por fazer parte dos churrascos, das piadas, das aulas, das festinhas, dos aniversários, porque são as boas coisas, os bons momentos que serão lembrados...
Foram três anos construindo uma coisa tão forte, tão significativa, que arrepia só de lembrar que não teremos mais as manhãs conjuntas, a mesma proximidade. Uns vão viajar, outros fazer cursinho, e por maiores que sejam as promessas de nunca nos esquecermos, as amizades enfraquecem. Os verdadeiros que permanecem...
Voltei de uma viagem da Joy, no 9° ano, cheia de energia pra começar o Ensino Médio, e me deparei com duas salas separadas, pessoas novas, e amigos antigos todos em outras escolas. É claro que no começo é tudo estranho, alguns você simpatiza, outros não. Mas eu estava ávida por novas amizades, pra conhecer a prof° Raquel, pra ter aula de química e pra ter a sensação de "estou no Ensino Médio". E tudo passou tão rápido, que já estava chamando a Amanda de melhor amiga, já tínhamos feito amigo secreto, já tinha ido ao cinema umas 10 vezes depois de simulado, já existiam pérolas da sala, já tinha perdido o medo das aulas complicadas de física e química, já tinha inserido a Nath nos rolês, já tinha brigado com as pessoas, já tinha me estressado com as pessoas, já tinha superado a ausência da Bruna Gibelato ♥ nos meus dias , já tinha formulado os mais bonitinhos da escola, já tinha visto o Brasil perder a Copa e já tinha julgado muita gente por ai..
E então, lá estava eu, no segundo ano, aproveitando o que diziam "aproveita esse ano, porque ano que vem voce tá ferrada". Comecei a mudar, a deixar o cabelo enrolado, a ouvir os conselhos das amigas, a sentir falta de alguns que sairam ou repetiram, e mais pérolas aparciam, mais encontros na casa do Thomaz surgiam, as pessoas cresciam, começavam a entender como funcionava as aulas de português, emagreciam ou engordavam (como no meu caso) e os laços iam ficando cada vez mais fortes...
Era sítio, era Hopi Hari, era noite da pizza, era festa junina dos trocados, eram casais se formando, cada momentinho por mais normal que fosse, hoje, agora, já faz falta. Já falávamos em como ia ser o ano que vem, mas não tínhamos ideia do que era fazer um TCC, ou prestar Fuvest, ou que a diretora ia mudar, ou que a semana do saco cheio era tão burocrática ou que a professora de Biologia ia ficar grávida.
E, de repente, depois de umas férias muito bem aproveitadas na praia, cheguei na escola, com 33 pessoas na sala, turmas misturadas, histórias pra contar, cabelos novos, peles morenas, e apertos no coração. Os professores começam a falar de que esse ano ia ser difícil, pra não perdermos o foco, e já começa-se a pensar no tema do TCC, os desesperos aparecem, as lições e trabalhos voltam, as aulas a tarde começam...
Demorou para pensarmos em formatura, em viagem, em semana no saco cheio, em festa junina temática, em vestibulares, mas é estranho como as coisas acontecem com o tempo. Pois foi de um dia pro outro que já sabíamos para quais faculdades íamos prestar vestibular, qual o curso, que área tínhamos mais dificuldade, notas de corte, porcentagem de nota, projeto do TCC apresentado, tabelas periódicas em mente, músicas para lembrar fórmulas.
E depois disso, já tínhamos "uma música", já sabíamos a roupa que íamos usar na semana no saco cheio, já tínhamos o dinheiro para formatura, já tínhamos que nos inscrever nas faculdades, já tínhamos que decidir as datas para os fins de semana em sítio.
E lá estavamos nós, no início dessa semana, com TCC apresentado, com olhos vermelhos de chorar, abraçando professores que antes tínhamos medo, com as camisetas que mandamos fazer, com as angústias fuvestídicas acalmadas, com uma plena e triste sensação de fim.
E é isso, nada é para sempre, apenas as coisas boas.
Assim, tudo, tudo pelo o que passei, não só esses três anos, será lembrado para sempre. Eu cresci rodeada de professores maravilhosos, de pessoas bondosas. Errando, mas sempre superando as expectativas, trazendo orgulho pra minha mãe, descobrindo que o que realmente importa na vida das pessoas não é o rótulo que ela pode te trazer, mas a essência, e foi a escola que ajudou a construir tudo o que sou.
É muito bom eu chegar no vestibular preparada.
É muito bom eu ler uma notícia e entender tudo aquilo e saber relacionar com as coisas que vi na aula.
É muito bom eu não sentir medo de fazer um texto.
É muito bom ver a prateleira cheias de livros, e saber que li todos, que entendi os autores, que sei tudo, e MUITO bem, sobre literatura.
É muito bom saber que fiz as escolhas certas, que tive amigos verdadeiros, que tive professores ótimos.
É muito bom quando estou numa roda de amigos e falam "o Novo Rumo é umas da melhores escolas"
É muito bom quando percebo que não sai da escola esquecendo de aprender alguma coisa, ou despreparada para futuras provas, concursos...
Enquanto eu via a Livia apresentando o TCC dela, eu pensei "nossa, como é bom e legal ela ter decidido o que queria". E quando o Bruno apresentou o dele, percebi como ele sabia "falar bem". E quando via a Paula todos os dias estudando enquanto tirávamos várias fotos. E quando a Giovanna diz que eu mudei, que melhorei, que ela tem orgulho de ser minha amiga. E quando abracei o João no último dia de aula e deu aquele aperto no coração. E quando eu percebi que eu era mais amiga da Lyra agora, do que antes, nos outros anos. E quando percebo como o Thomi mudou, melhorou, cresceu e se tornou tão especial. E quando lembro do pacto "empreguetes" entre eu, a Amanda e a Letícia. E quando vejo como a Ju, a Carol, a Paula Lyra, a Bia, a Ana, o Gui, o João Paulo, o Rafa, como todos estiveram sempre ali, sempre cmg, sempre aprendendo as mesmas coisas, crescendo junto. Éramos tão perdidos, não sabíamos o que queríamos, e estamos ai, com carateres formados, com ideias em mente, com responsabilidades feitas. A Bruna, o Fábio, a Karol, a Amanda P., a Yvone, o Vitor, "os Gabriel", o Henrique, a Ju Cavalcante, o Marcos, a Marina, o Thiago, o Pietro,  João Mosquette, o Gustavo, a Gi Sigolo, o Lucas... TODOS tornaram tudo o que passei, perfeito. Perfeito mesmo, sem clichês, sem falsidade, não sei o que seria do meus dias sem cada um de vocês.
Só tenho a agradecer: Aos meus pais, por todos os sacrifícios que fizeram para me proporcionar estudos tão bons e muito bem aproveitados. Á escola, por cada reunião, por cada puxão de orelha, por cada "bom dia", por cada "a luiza é uma ótima aluna". Aos professores, por cada aula, cada "parabéns", cada elogio, cada bronca, cada piada, cada mania. E, por fim, aos meus amigos, não tem o que dizer, cada um, por mais distante que for, todos foram importantes, todos fazem as fotos serem tão alegres e emocionantes de olhar. É o conjunto de vocês que tornou meu Ensino Médio o melhor de todos

4 comentários:

SILVIA on domingo, dezembro 02, 2012 disse...

QUERIDA LU ESTOU EMOCIONADA DIANTE SEU DISCURSO .....SENTI CADA PALAVRA COMO SE ESTIVESSE REVIVENDO CD MOMENTO .....AMEI DESEJO QUE TDS VCS SAIBAM QUE OS AMO D +,E QUANDO QUISEREM SE REUNIR E MCASA AQUI ,OU QUANDO ESTIVERMOS EM ATIBAIA SERA UM PRAZER E PAEABENS A TODOS QUE CAMINHARAM ,E SOUBERAM VENCER TANTOS OBSTACULOS ,COM SABEDORIA.A FELICIDADE OS ACOMPANHARA SEMPRE BJUS INOOOOOOOORMES

Monica on segunda-feira, dezembro 03, 2012 disse...

Adorei o texto Luiza, muito lindo. *0* Enquanto via o quão única é a sua história, lembrei como é bom passar por essa época, mesmo com tantos problemas, complicações, são momentos especiais. Espero que você guarde no seu coração, para sempre, cada um que esteve presente nesse ano, e lembrem-se que se quiserem mesmo nunca irão se separar. Muitos beijos e que tudo seja maravilhoso nessa nova fase que se inicia. ^^

Alba on segunda-feira, dezembro 03, 2012 disse...

cute!

I want to invite you to great giveaway in my blog!
You can win your favorite Dress from InloveWithFashion!
XOXO

Anônimo disse...

Lulu,minha princesa...seu texto é simplesmente maravilhoso e confirma tudo que vc escreveu sobre seu crescimento durante os três anos que se passaram.Vivi cada momento aqui registrado,seus amigos são meus amores,que fizeram parte da minha vida também.Me sinto privilegiada em ser sua mãe e saber que pessoas lindas conviveram conosco durante 14 anos,uns menos tempo,mas não menos importantes.Seu caminho é longo e cheio de realizações.Continue brilhando!!!!! TE AMO...MUIIIIIIITO!! Mamis.

 

Luiza Wonderland Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos